Quarto ‘espartano’ e TV ‘muito simples’: as primeiras 24 horas de Lula preso em Curitiba

0
Manifestantes favoráveis a Lula montaram acampamento no entorno da PF

Em seu primeiro dia preso na Superintendência da Polícia Federal em
Curitiba, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva acordou em um quarto
“espartano”, tomou café com pão e assistiu ao jogo do seu time em uma
TV “muito simples”, disse uma fonte da PF à BBC Brasil.



O ex-presidente chegou ao local por volta das 22h do último sábado, e
foi recebido por duas multidões separadas por um cordão da Polícia
Militar do Paraná. Uma delas entoava palavras de ordem como “Lula
guerreiro do povo brasileiro”. A outra gritava “Lula, ladrão, seu lugar é
na prisão”.



Pouco depois de sua chegada, a polícia dispersou a multidão de
simpatizantes de Lula que acampavam diante do prédio com gás
lacrimogêneo e balas de borracha. Sem tumulto, o grupo de detratores
também foi afastado.



Os militantes do PT e de outros movimentos sociais, no entanto,
prometem manter o acampamento – e expandi-lo – nos próximos dias, no
entorno do prédio.



“Estão chegando mais 40 ônibus de outras cidades, vamos ter mais uma
bateria também. Como foi tudo rápido, leva um tempo para o pessoal se
organizar, alugar ônibus. Mas a tendência agora é só crescer”, disse à
BBC Brasil Maiara Oliveira, secretária de organização da União da
Juventude Socialista (UJS) e parte da Frente Brasil Popular, que
coordena o acampamento.

Manifestantes favoráveis a Lula montaram acampamento no entorno da PF

CAMILLA COSTA/BBC BRASIL


Na manhã de domingo, o grupo já tinha banheiros químicos, barracas de
comida, eventos culturais e até um centro de informação, que distribuía
água e lanches.



O petista foi “bem recebido”, segundo a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, que visitou o edifício na mesma noite.



“Não posso dizer como está o presidente porque não estive com ele nesse
momento. Mas o delegado nos disse que ele está bem. O presidente saiu
de São Bernardo como ele sempre está, de forma tranquila e segura”,
disse aos jornalistas.



Lula se entregou à polícia depois de ficar dois dias na sede do
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo. Horas
antes, ele fez um discurso para milhares de pessoas no alto de um trio
elétrico, e disse que sairia da prisão “maior, mais forte, mais
verdadeiro e inocente porque eu quero provar que eles é que cometeram o
crime”.



‘Água de poço’


Lula não comeu na noite de sábado, e não se sabe se teve alguma reação às manifestações do lado de fora da prisão.



Minutos antes da chegada do helicóptero que o trazia do aeroporto
Afonso Pena, homens da Polícia Federal pareciam ansiosos dentro do
prédio, e corriam nos corredores para tomar suas posições. Enquanto a
aeronave pousava no heliporto do edifício, alguns oficiais faziam fotos
da multidão com os celulares.

Placa de inauguração sede da PF em Curitiba que traz o nome de Lula, na época presidente

Placa de inauguração sede da PF em Curitiba que traz o nome de Lula, na época presidente

CAMILLA COSTA/BBC BRASIL


Por volta da meia-noite, no entanto, o clima dentro do prédio já era tranquilo “como água de poço”, segundo uma fonte.



Não é a primeira vez de Lula no edifício. Ele veio à Superintendência
da PF em maio de 2017 para prestar depoimento no âmbito da operação Lava
Jato.



O prédio foi inaugurado dez anos antes, em 2007, em seu segundo
mandato, como parte dos esforços para dar mais estrutura à polícia
federal no combate a lavagem de dinheiro – um dos crimes pelo qual o
ex-presidente foi condenado. Ele, no entanto, não compareceu à
cerimônia, porque tinha um compromisso em Campinas (SP).



O prédio acabou sendo inaugurado pelo então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, morto em 2014.



Na noite de sábado, Lula foi levado do heliporto a uma cela especial no
terceiro andar. A sala, adaptada para recebê-lo, fica no centro do
prédio e tem três janelas que receberam películas escuras, para impedir o
contato com o lado de fora.



Não foi possível ver a movimentação dentro do edifício após sua chegada.



Três oficiais têm acesso a Lula e “não podem dizer nem se ele está acordado ou dormindo”, de acordo com uma fonte na polícia.

De um lado, manifestantes comemoravam a prisão de Lula...

De um lado, manifestantes comemoravam a prisão de Lula…

CAMILLA COSTA/BBC BRASIL

... de outro, mais manifestantes mostravam seu apoio ao petista

… de outro, mais manifestantes mostravam seu apoio ao petista

CAMILLA COSTA/BBC BRASIL


Carne assada e chuchu


Lula não comeu na noite de sábado, e fez sua primeira refeição na manhã de domingo, por volta das 7h45 – pão e café com leite.



Às 11h, a empresa que fornece as refeições para a carceragem da PF
voltou ao prédio para trazer o almoço, que foi servido às 11h30.



No final da tarde, a senadora Gleisi Hoffmann falou a militantes e
jornalistas no acampamento em apoio a Lula e disse que ele está
“tranquilo, mas muito cansado”.



Por causa da distância do acampamento, que agora fica depois do
perímetro de uma quadra e meia estabelecido por uma liminar de Justiça, o
ex-presidente provavelmente não conseguiu ouvir quando a cantora Ana
Cañas executou a música O Bêbado e a Equilibrista em sua homenagem.



Segundo ela, Lula chegou a dizê-la em um evento que esta era a “canção da sua vida”.

Ana Cañas cantou 'O Bêbado e a Equilibrista' para Lula - mas provavelmente ele não conseguiu ouvir

Ana Cañas cantou ‘O Bêbado e a Equilibrista’ para Lula – mas provavelmente ele não conseguiu ouvir

CAMILLA COSTA/BBC BRASIL


Por volta das 16h, ele recebeu a visita do advogado, Cristiano Zanin,
que, ao sair, disse ter tido apenas “uma conversa entre advogado e
cliente” com o petista.



“Desde o início dissemos que esse processo tinha uma motivação
política, e a condenação segue essa linha. O presidente acredita ser um
preso politico, sim.”



Zanin, no entanto, afirmou estar confiante de que a decisão poderá ser revertida na Justiça.



A visita durante o fim de semana, segundo fontes da PF, é uma exceção
permitida pelo juiz Sergio Moro, “por causa das circunstâncias
especiais”.



Às 17h30, uma van da empresa Blumenauense chegou ao edifício trazendo o
jantar dos presos – arroz, feijão, carne assada, macarrão e chuchu.



“Em presídio o jantar costuma ser cedo assim mesmo, porque a ideia é
que eles durmam cedo também”, disse um policial militar à reportagem,
quando perguntado sobre o horário das refeições.



“Mas não dormem, né. Não conseguem”, comentou outro policial.

Empresa trouxe jantar de presos: arroz, feijão, carne assada, macarrão e chuchu

Empresa trouxe jantar de presos: arroz, feijão, carne assada, macarrão e chuchu

CAMILLA COSTA/BBC BRASIL


A cela de Lula, de cerca de 15 metros quadrados, começou a ser adaptada
para recebê-lo cerca de 15 dias antes de sua prisão, e recebeu uma cama
de solteiro e uma mesa. O ex-presidente tem banheiro privativo, mas não
ar-condicionado, nem frigobar. As janelas são do tipo basculante – elas
podem ser abertas, mas não permitem ter uma boa visão de fora.



Na noite de sábado, o petista também recebeu autorização do juiz Sergio
Moro para ter no quarto TV e “espartana, como todo o quarto”, disse um
oficial da PF à reportagem.



No final da tarde, ele assistiu ao jogo entre Palmeiras e Corinthians pelo Campeonato Paulista.



“Da última vez que eu vi, o time dele estava ganhando de um a zero.
Então acredito que o ex-presidente deve estar muito feliz”, disse o
policial federal ouvido pela BBC Brasil.



O segundo jogo da final terminou nos pênaltis. O Corinthians, time de Lula, venceu a disputa e se sagrou campeão paulista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui