0
 
Moradores de Planaltina ficaram chocados com uma tentativa de
feminicídio no início da noite desta quinta-feira (5/4). Um homem
atingiu a ex-mulher com um tiro na cabeça e tentou se matar em seguida.
Segundo informações da Polícia Militar, a vítima tinha medidas
protetivas contra o autor dos disparos, com base na Lei Maria da Penha.
 
O
crime aconteceu na Quadra 1 do Jardim Roriz. De acordo com o subtenente
dos Santos, que ajudou a atender a ocorrência, o homem entrou no
escritório em que a vítima trabalhava e efetuou ao menos três disparos
com arma calibre 38. Depois de acertar a mulher na cabeça, ele atirou
contra o próprio pescoço. Ele conta que o casal era conhecido na região e
que a tentativa de assassinato chocou os moradores.
 
Militares
do patrulhamento ostensivo e do grupo tático do 14º Batalhão, que
atende a região, chegaram logo após o crime e isolaram a área. O Corpo
de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)
atenderam vítima e agressor no local. Os dois foram transportados so
Hospital Regional de Planaltina (HRP), estabilizados e encaminhados ao
Hospital de Base. Até a última atualização dessa reportagem não havia
informações sobre o estado de saúde deles.
 

A 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina) está responsável pelo
investigação. O delegado de plantão foi ao local do crime e, por isso,
ainda não conseguiu dar mais detalhes sobre o caso. 
 

Violência doméstica

 
Em
março, dois casos de feminicídio seguidos de suicídio no Distrito
Federal marcaram o mês em que mais se discutem temáticas voltadas às
mulheres. No dia 16, Mary Stella Maris Gomes Rodrigues dos Santos, 32 anos, foi assassinada a tiros pelo companheiro, Júlio César dos Santos, 38, que se matou em seguida. Dez dias antes, Elson da Silva, 39, também usou uma arma de fogo para matar a companheira, Romilda Souza, 40, e tirou a própria vida em um apartamento na Asa Sul. 

A
Lei Maria da Penha, sancionada em agosto de 2006, prevê, além das
medidas protetivas, que determinam o afastamento do agressor, ações
educativas com o objetivo de prevenir casos de violência doméstica.
Especialistas destacam que esse é o caminho para se alcançar, a longo
prazo, a redução do número de mortes. correio brasiliense.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui