CED Agrourbano Ipê recebe árvore didática

0

A Secretaria de Estado e Educação do DF (SEEDF) recebeu de presente a
árvore didática utilizada pela Rede Globo no estande da emissora no
Fórum Mundial da Água. A planta cenográfica – representação de um
pequizeiro, árvore frutífera típica do Cerrado – está no Centro
Educacional Agrourbano Ipê, no Riacho Fundo II, para auxiliar os
estudantes no aprendizado de conteúdos relacionados de forma didática.


Foto: Vladimir Luz, Ascom/SEEDF


A unidade escolar foi escolhida por desenvolver o projeto “Plantando
Água”, que participou do Fórum Mundial e mostrou ações para
sustentabilidade e uso consciente do recurso hídrico. “É mais um momento
de reconhecimento do trabalho desenvolvido na Secretaria nas áreas de
conservação, importância do meio ambiente e utilização consciente dos
recursos hídricos. Essa árvore representa o Cerrado e será muito bem
aproveitada na escola”, destaca o secretário de Educação, Júlio Gregório
Filho.




A ideia é utilizar o presente para contribuir no processo de
aprendizagem dos alunos em diversas áreas do conhecimento, como ciência,
geografia, biologia e demais matérias.




“O sentimento hoje é de reconhecimento de um trabalho de formiguinha
que vem sendo feito há muitos anos na nossa escola. Queremos continuar a
divulgar a importância da inclusão de projetos com a água e
sustentabilidade para os alunos. São muitos ações desenvolvidas com a
dedicação da equipe, participação dos alunos e parceiros”, relata Sheila
Mello, diretora do  CED Agrourbano Ipê.




O design da árvore ajuda os alunos a visualizarem as diversas partes
da planta, já que ela fica suspensa no estande onde e é possível
observar o caminho feito pela raiz nas diferentes camadas do solo até a
água.




Entre raiz e copa, são 4m de altura, os materiais utilizados na confecção foram ferro, resina e isopor.



“Queremos chamar atenção sobre a questão da devastação do Cerrado. A
construção dessa árvore suspensa mostra a dimensão da grandiosidade das
raízes das plantas desse bioma, que são tão profundas e atuam como
esponjas que ajudam a levar águas para as bacias”, frisa Tatiana Dale,
gerente de Comunicação da Globo em Brasília.




Estudantes participaram do momento em que foi assinado o documento de
doação da árvore para a escola. Ela fará parte da Exposição Permanente
de Tecnologias de Baixo Custo do local. A aluna Ana Luíza, de 14 anos,
conta orgulhosa do trabalho desenvolvido na escola e da felicidade em
receber a árvore na Exposição Permanente no local. “Nosso intuito é que
escola seja vitrine de boas práticas sustentáveis que podem ser
incluídas no dia a dia das pessoas. Eu participo dos projetos da escola
desde 2014 e vejo o quanto é gratificante”.




A partir de 1995, a escola começou os debates sobre o tema da
preservação das nascentes, o desenvolvimento de ações para reduzir o
consumo e incentivar o tratamento e o reúso da água. Atualmente o local
tem agroglorestas, minhocário, construções sustentáveis, horta
agroecológica, mini-estação de tratamento da água do esgoto, entre
outras ações. fonte secretaria de educação DF.

Campanha CLDF

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui