Casal que matou mãe e filho na Rodoviária se entrega à polícia

0
 

O casal acusado de assassinar mãe e filho na Rodoviária do Entorno,
na área central de Brasília, quarta-feira, se entregou à polícia na
tarde desta segunda-feira (9/7). Presos preventivamente, Henrique
Monteiro Gonçalves, 33 anos, e a mulher, Geovana dos Santos, 32, vão
responder por duplo homicídio e por tentativa de homicídio. Ele é
apontado como autor dos disparos. Ela, a responsável por ajudar na fuga e
esconder a arma dro crime. Ambos alegam legítima defesa e afirmam ter
perdido a arma usada no crime. O casal estava escondido em São
Sebastião.
 
Responsável pelo caso, o delegado
Rogério Henrique Oliveira, chefe da 5ª Delegacia de Polícia (Área
Central), duvida da versão do casal. “Pelo que apuramos até o momento,
não se trata de um crime de legítima defesa. Acreditamos que a arma
esteja escondida em algum local. Apesar da prisão, continuaremos
escutando testemunhas e, sobretudo, a vítima que sobreviveu”, afirma
Oliveira. O prazo para finalizar o inquérito é de 10 dias. 
 
Henrique
e Geovana têm ficha criminal. Há um mandado de prisão em aberto contra
Henrique, por roubo qualificado cometido com arma de fogo e corrupção de
menores, em 2007, no Distrito Federal. Ele foi condenado em 2015 e era
considerado foragido pela Justiça do DF desde então. Geovana responde a
três processos por lesão corporal, registrados em 2014, 2016 e 2018.

Briga antiga

O
mais recente, de 25 de junho, estaria vinculado ao crime na Rodoviária
do Entorno. Geovana teria tentado ferir Wellington com uma faca, após
uma discussão com Pâmela Vieira de Sá, 22, mulher de Wellington. Ele, a
mãe e irmã registraram um boletim de ocorrência denunciando lesão
corporal, ameaça e lesão recíproca. Briga surgida por causa da disputa
por ponto de venda ambulante do terminal que recebe os ônibus do
Entorno, em Brasília. Desde então, Wellington passou a andar com um
facão, o mesmo encontrado ao lado do corpo dele. Pâmela está no nono mês
de gravidez.

O crime aconteceu por volta das
14h40 de quarta-feira. Maria Célia Rodrigues dos Santos, 38 anos, e
Wellington Rodrigues Santos da Silva, 22, levaram um tiro no coração.
Morreram no local. Baleada no abdômen, Kerolyn Ketlen Moreira, 19, ficou
internada no Hospital de Base, onde passou por uma cirurgia. O estado
dela é estável. Kerolyn é filha de Maria Célia e irmã de Wellington. Os
três trabalhavam como ambulantes na região central de Brasília vendendo
doces e salgados. Moravam em Planaltina de Goiás, assim como os
acusados.

Para os investigadores, o crime de
quarta-feira foi premeditado e motivado por uma rixa antiga entre os
envolvidos, motivada pela disputa de ponto de venda ambulante no
terminal que recebe os ônibus do Entorno, ao lado da Rodoviária do Plano
Piloto. O delegado Rogério Oliveira diz que Wellington não teria
tentado usar a arma para agredir o autor do crime. As investigações
também não citam qualquer envolvimento dele com tráfico ou uso de
drogas. fonte correio brasiliense.

Campanha CLDF

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui