Após sequestro e morte no Eixão, presidiário é envolvido em tentativa de estupro

0

O fim de semana do Saidão do Dia dos Pais terminou com, ao
menos, dois crimes envolvendo detentos que conseguiram o benefício. Uma
ocorrência, no domingo, foi de tentativa de estupro. Outra, no sábado,
envolveu roubo com restrição de liberdade, acidente de transito e morte de duas pessoas. Ao todo, 1.175 detentos foram liberados na última sexta (10) e que tem até às 10h de hoje para retornar ao complexo da Papuda.


Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, o último crime ocorreu
por volta das 4h30 da madrugada de domingo (12). Um homem, que não teve
o nome revelado, foi encaminhado para a 1ª DP da Asa Sul depois de ser
acusado de estupro e fugir da Polícia. O caso ocorreu na quadra 3 do
Setor Norte, da Cidade Estrutural.


Leia mais: Vídeo: “Eu só queria roubar, não queria matar ninguém”, diz bandido que provocou acidente no Eixão Sul

Uma mulher disse que foi convidada por um homem para ir à casa dele
e, em seguida, irem a uma festa. Na residência, ele a teria ameaçado
porque não consentia em ter relações sexuais. A vítima, então, foi
agredida com socos e uma mangueira.
A Polícia foi a casa do suspeito para apurar os fatos, porém, assim que
os policiais ouviram a versão da garota, o homem saiu correndo do local.
Os policiais conseguiram prendê-lo a 400 metros dali e o levaram à
delegacia. Depois de ser ouvido, ele foi liberado.


O saidão

Até o fechamento desta edição, não houve novas ocorrências envolvendo
detentos do sistema. Neste ano, os Saidões garantem aos presidiários
que tiveram bom comportamento nada menos do que 35 dias fora das grades.
Houve saídas no período da Páscoa, no Dia das Mães, e neste final de
semana do Dia dos Pais.


Eles ainda terão direito a deixar as prisões por alguns dias no
feriado da Independência, no Dia das Crianças, na Proclamação da
República e no Natal. Ainda houve uma saída em julho.


O benefício não é para todo mundo. Só pode se usufruir dele o detento
que cumpre regime semi-aberto e tem autorização para trabalhos
externos. Quem tiver qualquer ocorrência de mau comportamento nos seis
meses que antecedem os dias de saída perdem o benefício.


A liberação para os criminosos vem da Vara de Execuções Penais (VEP)
do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT). Aqueles que não
retornarem nesta segunda serão considerados foragidos e perdem o
benefício em próximas ocasiões.


Após roubo, sequestro e duas mortes

No sábado (11), o caso envolvendo detento com o benefício do saidão
foi bem mais grave. Lucas Brás de Oliveira Júnior, 23, foi responsável
por provocar um acidente com dois mortos, no final do Eixão Sul. Ele
estava preso desde 2015, quando foi condenado a oito anos por roubo, mas
estava livre deste a manhã de sexta (10).


Logo na tarde de sábado, por volta das 17h, ele havia roubado um
relógio Rolex, de luxo, e tentou fugir em uma moto. Porém, como havia
integrantes da Polícia Militar próximos do local, preferiu outra saída.
Armado, abordou uma senhora, que estava com o sobrinho de seis anos, na
505 sul, próximo ao Sesc, tomou seu carro e começou uma fuga que só
terminou com o acidente no Eixão.


Antes de passar pelo viaduto que sai do Eixão Sul e dá acesso a pista
que vai para o aeroporto, Lucas tentou entrar para a pista a direita,
que vai no sentido Zoológico, mas perdeu o controle do veículo e colidiu
com uma kombi, que, desgovernada, capotou e só parou quando atingiu um
Ford/EcoSport onde havia cinco pessoas, incluindo uma criança.


Com o impacto, os integrantes da Kombi, Márcio Barbosa de Oliveira e
uma mulher, morreram antes mesmo da chegada do socorro do Corpo de
Bombeiros. Mais sete pessoas se feriram no acidente. Todas foram
encaminhadas para o Instituto Hospital de Base (IHB). Dos cinco
integrantes do EcoSport, somente dois estavam em estado de saúde pior e
devem. Tia e sobrinho, que sofreram o cárcere privado, não sofreram
ferimentos graves e foram liberados.


Saiba mais

Detentos terão outro benefício a partir de agora. É o projeto Ler
Liberta, da Vara de Execuções Penais. Todos os 1,8 mil livros foram
selecionados por professores da rede oficial.


Após ler as obras, o detento deve fazer uma análise crítica que vai
ser analisada. Se aceita, ele terá redução de quatro dias da pena por
livro lido.


O processo começou em novembro de 2016. Portaria regulamentou todas
as modalidades de remição da pena pelo estudo, como o ensino presencial,
o ensino a distância e a leitura.jornal de Brasília.

Campanha CLDF

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui