Restaurantes comunitários têm aumento de 23% na procura

0
46

Na volta à cobrança de R$ 1 para todos os públicos consumidores, foram vendidas 15.492 refeições, nesta segunda-feira (10), nos 11 restaurantes comunitários do Governo do Distrito Federal. A redução de preço surtiu efeito: o aumento médio da procura nas unidades ficou em 23,8% – no mesmo dia da semana passada, 12.678 pessoas almoçaram nos estabelecimentos populares, com o preço antigo (R$ 2).

Na sexta-feira (27), quando renomeou para “Rorizão” o Restaurante Comunitário de Samambaia, em homenagem ao ex-governador do DF Joaquim Roriz, o governador Ibaneis Rocha anunciou que o valor da refeição seria unificado em R$ 1.

“Uma medida extremamente benéfica e urgente para o cidadão que mais precisa”, resume o secretário de Desenvolvimento Social, Ricardo Guterres. “Já estávamos em articulações internas para viabilizar essa redução. Porém, o governador, sensível à questão da segurança alimentar e nutricional das pessoas de baixa renda, antecipou o anúncio”, complementa.

Como esperado, nos próximos dias o Diário Oficial do Distrito Federal registrará oficialmente a redução de preço. Até antes do anúncio, somente pessoas inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) pagavam tarifa reduzida de R$ 1, com público geral tendo que pagar R$ 2.

Em 2015, a então gestão do GDF aumentou o valor da refeição de R$ 1 para R$ 3. Após perceber que o preço era inviável para pessoas de baixa renda, em junho de 2016 o governo instituiu que seria R$ 2 para o público geral e R$ 1 para os inscritos no CadÚnico.

Até então, a tarifa nunca havia sido reajustada desde a inauguração do primeiro restaurante, em 2001.

É importante lembrar que os restaurantes da Estrutural, de Ceilândia e do Gama estão em manutenção e, por isso, estão temporariamente fechados. Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui